segunda-feira, maio 31, 2004

SEI QUE EU NÃO DEVIA FAZER ISSO, MAS....

(Recado para Edson )

A Lilian Satomi repórter da área automotiva da Gazeta, saiu daqui hoje. Cansou-se. Ari, editor da área, está sem repórter... não me culpe depois.... :-0
Ironias e tomadas

Pelo visto, vocês andam mais irônicos e cruéis do que nunca...
Depois de uma tarde inteira trabalhando como eletricista no meu novo apartamento no Rio, resolvi me conectar um pouco...
Aliás, se Márcio e André forem mesmo morar juntos podem contratar meus serviços.
Depois que um eletricista me cobrou R$ 20 por cada luminária instalada, resolvi dar uma de Ursulão e exercer meus dotes de filho de um chefe de obras e reformas.
Gastei a tarde instalando um ar condicionado, uma máquina de lavar e trocando três interruptores. Tomei quatro choques, no último cheguei a pular para trás até, mas não cheguei a desmaiar e não provoquei nenhum curto na casa.
Tenho mais dois lustres para instalar, mas decidi que vou é mesmo voltar a chamar o eletricista. Chega de choques...
Fora os afazeres domésticos e de noivo, tenho ao menos conseguido manter minha rotina de cinéfilos.
Quanto ao A Day after tomorrow, realmente é fraquinho, mas ainda assim não chega irritar a ponto de ficar reparando mais na parede e nos detalhes da nova sala de cinema. O Márcio, se ver, garanto que fará mais um daqueles artigos imensos sobre o efeito Bush na narrativa holywoodiana. Aliás, o maior mérito do filme, talvez até mais que os efeitos especiais, são as passagens sutis onde tenta se mostrar um EUA menos arrogante e prepotente, auto-afirmando-se como meros hóspedes dos países do terceiro mundo (a melhor passagem do filme é a dos americanos entrando ilegalmente na fronteira do México).
Vi Tróia ontem com a Lyara. Além das distorções históricas e tratamento superficial do tema, achamos que o filme poderia se chamar Aquiles. O melhor foi na saída do filme, quando passamos na banca e compramos a super-interessante. A matéria também é fraquinha, mas pelo menos permitiu que retomássemos algumas lições esquecidas na aula de história. Basta lembrar que o que no filme parece ter durado uma semana, durou 10 anos.
Dos filmes que vi, o que mais mexeu comigo, ao menos me propiciou alguns instantes de bastante raiva e fastio, além de pelo menos 15 minutos de cochilo, foi o Filme de Amor.
Na sala tinham apenas 10 pessoas. Quatro sairam nos primeiros vinte minutos. Outras 4 saíram quando apareceram cena de sexo explícito.
Quando o filme acabou e as luzes foram acesas, tinha apenas eu e um tiozinho com cara de aposentado ###### na sala. A fotografia é hipnotizante e a direção é ótima. Mas que o filme é um saco é!
Assisti também o argentino Pântano. Também é daqueles filmes que incomodam pois passa uma hora e nada acontece de fato, mas a proposta acaba sendo bastante original e no fundo as coisas acabam se encaixando. Mas é daqueles filmes de tesão reprimido, que não chegam de fato ao gozo (em ambos os sentidos).

sábado, maio 29, 2004

O fim do mundo e uma nova esperança

Ontem, eu e Helena fomos conhecer o novo Bela Artes. Para que o cinema fosse a atração principal em detrimento do "formar uma opinião sobre o filme", optei pelo O Dia Depois de Amanhã.

Foi ótimo, pude prestar atenção ao carpete, ao som, à lente que no começo me pareceu um pouco disfocada(?) já que a imagem vazava para o teto, as poltronas, as paredes brancas que deixavam tudo clean, o banheiro no jogo de marmore preto com piso branco, o cheiro de tudo novo...

Uma otima supresa ver o velho cinema com uma nova roupagem e mais uma prova de que o dinheiro e o establishment ainda fazem diferença até para a cultura e nem sempre para o mal...

Se não tivesse chegado ao local tão tarde teria provado, na cafeteria, os muffins e os chocolates da Sweet Brazil que estavam muito bonitos...

Quanto ao filme, deixo para a Helena comentar depois...

quinta-feira, maio 27, 2004

MAS ....

AMO MUITO TUDO ISTO....

Alguém sabe onde se localiza o Mc Donald´s mais próximo ?
VOCÊ DECIDE !

Se você acha que André Amaral merece um papel (pontinha ) no Frineds Picadinho - mesmo que seja gripado e abrindo a geladeira - post aqui !

Nesta história você VOTA e FAZ o final !!!!!


Sopão no sabadão?

Quem vai assistir X-Men lá em casa no sabadão friozão? Aliás, aproveito para reiterar que a coisa que eu mais odeio na minha vida é inverno. Ai, que coisa horrorosa!!!!!!!!

quarta-feira, maio 26, 2004

FRIENDS PICADINHO –CAPÍTULO 4

Fade in na tela de um computador. Avista-se uma caixa de e-mails na tela.

A câmera abre. Márcio está sentado em frente á máquina com cara de perplexo. No som é possível ouvir “vaca Profana”, de Caetano Veloso. Trata-se de um escritório. Há livros por todos os lados.

Ouve-se o som do interfone. Márcio levanta-se para abrir a porta. É possível ver que ainda insiste em vestir jeans, camiseta e tênis, apesar do cabelo absolutamente grisalho.

Close nos porta-retratos. Vê se os Picadinhos, a família e a imagem de três homens em fotos diferentes.

Márcio abre a porta. Aparece Roberta loira e mais perua do que nunca

- Oi Rô !

_ Oi Godinho !!!! (Beijam-se)

- Vamos ? Tá na hora....

_ Peraí,, vou desligar o computador.....

- OK, Tá tudo bem ? tá com uma cara ?

-Tá sim ! É que eu odeio aquela cidade ...

- Num vai ser tão ruim....

-Márcio volta arrastando malas gigantes.

- Um dia eu aprendo a carregar menos tranqueiras...

-Você fala isto desde sua primeira viagem a trabalho Má.

- Vão saindo....

- pegou os remédios ?

-Sim... tá tudo aqui,,..

- Abre a porta do elevador.

-Onde estacionou o carro Rô ?

_ Tô com motorista novo.

-Ah, tá...

-Ali está ele,

Sai o motorista em direção aos dois. Um belo mulato de uns 30 anos....

- Boa tarde, Posso ajudar ?

Márcio Olha fundo para ele...

-Claro.....(e sorri)

- O motorista guarda as malas...

-Roberta percebe tudo...

-Você não toma jeito... “Que vegonha”.. rs

- Entram no carro...

-Você já decidiu Má ?

- Já !

_ E o que vai fazer ?

-Aceitar o cargo !

-Que bom !!!

- Acho que é meio que um dever e claro que vai te regalias também, mas morar em Brasília vai ser foda !!!!!
-
- -Você vai viajar pacas e ...

-... e não vou poder escrever e Ter que parar minhas aulas.....

-Tudo tem seu preço !!!!

-Rs.. esta frase é manjada !!!!

- Continuam conversando. Música de fundo de elevador.

-Aeroporto de Congonhas. Márcio desce do carro .

Motorista desce e abre o porta-malas.

-Senhor !!!

Muito Obrigado

-De nada – Prazer !

- Prazer foi TODO MEU !!!!!

Roberta ri e finge estar inconformada...Márcio e o motorista se cumprimentam com forte aperto de mão .

_ Tá tudo lá Rô, em Casa Grande & senzala.,...

_ Tua galinhagem ninguém explica Godinho...

-Falando em Pernambucanos, de lá vou para o Recife... os Picadinhos estão lá !

_ Já sei.. rs.... mande beijos a eles.. legal todos juntos....de novo.....

-Tô meio enjoado... precisando ficar sozinho....

-Que novidade ! Você nasceu enjoado....rs

Márcio some no saguão do aeroporto depois de se despedir de sua irmã...
tô tentando voltar a ler e escrever. tô tentando voltar a ver vocês. tô tentando aparecer, me organizar. tô tentando tanta coisa que cada vez saco mais minhas limitações... tô tentando ser e estar.
Tô me achando mesmo

Não pedi para fazerem figa, como o André, por pura superstição, mas sei que, incoscientemente, vcs torceram. Algumas pessoas sabiam, como a Ana Karla e o Márcio, que eu prestei a seleção de bolsistas Capes na PUC no fim do mês passado. Depois de 25 dias de angústia (não passar significaria continuar a pagar uma mensalidade exorbitante e não sei se ia dar), o resultado saiu: consegui. E passei em primeiro lugar, sem falsa modéstia. Se vcs olharem a lista verão um nome na minha frente, mas era uma "reserva" da seleção anterior, do começo do ano.

É incomum pra mim mesma ter esses ataques de falta absoluta de humildade, mas tô "se" sentindo. Minha pesquisa é muito boa e a coisa que mais me dá tesão de fazer profissionalmente no momento. Nós merecemos (eu e ela, a pesquisa).

segunda-feira, maio 24, 2004

De volta ao velho tema...



Eu não devo entender nada de Tarantino. Porque o filme que os fãs dizem que é o menor dele, curti mais do qualquer outro. Acho de uma presunção que merece o fuzilamento em praça pública abrir o filme com o slogan: "O quarto filme de Tarantino" . Não consigo imaginar Hitchcook fazendo o mesmo. Ou John Ford. Ou Frank Capra. O esquisitão-mor não tem noção mesmo, alimentado pela adoração dos modernos de plantão.

Também me irritou horrores o sangue espirrando pra todos os lados e aquela luta que não acabava mais. Não gosto de lutas, assim como o André. O que mais odeio em "O Retorno do Rei" é justamente a maldita uma hora de batalha nos Campos de Pellenor. Absolutamente insuportável.

Kill Bill é moderno, ágil. divertido, muito bem filmado. Só que é apenas embalagem. Uma puta embalagem, cenas incríveis, tudo. Mas não há qualquer conteúdo no filme. Não é isso que se critica em filmes como Senhor dos Anéis? "Oh, temos efeitos especiais incríveis, mas cadê o conteúdo?". Ou "o filme é maniqueísta demais, não precisava tanto". Kill Bill é a fina flor do maniqueísmo. Perdoamos a vilã interpretada por Lucy Liu por tudo que ela faz porque lembramos de seu passado triste (o fantástico desenho que narra a morte de seus pais.
Mamba Negra (Uma Thurman, um deslumbre de mulher) mata 88 indivíduos e não nos importamos, porque ela merece se vingar. Afinal, mataram todos no casamento dela e ela estava grávida. Maniqueísmo é algo que graceja em Hollywood, mesmo nos mais metidos a modernos. Culpem o Sid Fyeld, porque nem sequer Quentin Tarantino escapa totalmente desse cara.

E é um filme feito para ser consumido. O tênis da personagem principal já está vendendo horrores entre os fashionistas de NY e certamente será febre no quintal brasileiro. A trilha é ótima, e feita para ser fenômeno de vendagem como Pulp Fiction. Mulheres loiras de franjinha vão virar mania. Enfim, tudo é consumo na nossa era, não dá pra ser diferente no cinema de massa.

Deixo claro novamente que curti horrores o filme, apesar de achar o final a la Gloria Magadan, lamentável. Mas me sinto vingadinha quando vejo essas incoerências. Porque cinema é muito mais do que narrativa, muito mais do que roteiro, muito mais do que efeitos visuais. É tudo isso junto, bem azeitado, formando um todo agradável e, às vezes, genial, como em alguns momentos de Kill Bill. Na minha modesta opinião, o pretensioso do Tarantino acertou dessa vez.
Vida de noivo

O Bóris não fugiu para Copacabana. Continua muito bem habituado aos ares pantanosos do Capão. Para variar ele pegou mais uma verminose que já me custou mais algumas idas ao veterinário e umas centenas de reais, mas já está em regime de engorda novamente. Ele também estava empolgado para receber visitas para o prometido churrasco. Ele e sua mais nova companhia, o jabuti Jurubeba do meu irmão. Mas circuntâncias maiores sugerem que o evento seja adiado mais uma vez, pois a noiva quer a minha companhia para ver detalhes que todo homem tem muito a opinar como escolha de bolo, flores, decoração, detalhe da renda da toalha, etc...

Estou prestes a pedir o divórcio antes mesmo de casar. Depois de passar uma semana como servente de obra no Rio e de descobrir o preço de uma torneira e de um reles interruptor de ventilador, já estou achando o preço da ração do Bóris barato.

Mas enfim, o apartamento está ficando ótimo e, em breve, o quarto de hóspedes estará pronto para receber as visitas...

sexta-feira, maio 21, 2004

Venceu o prazo

André, por que vc pediu que fizessemos figa? Vc disse que contava na sexta-feira.

quinta-feira, maio 20, 2004

LYARA

Sim , eu sei ....
Entendo e respeito a ausência no blog mas,

VOLTA ! SEUS POSTS ESTÃO FAZENDO MUITO FALTA !!!!!

Beijos
É QUE ....

...a sensação de solidão e vazio vêm nos dias frios e acinzentados e nestes momentos eu me pergunto por que eu não tatuei um sol na face.
Também não quero "terminar gripado" e sabem, estou cansado de jogar na defensiva ! Preciso fazer terapia. De fato, não aprendi a me relacionar....
Para estar com alguém é preciso deixar a razão de lado e agir mais com o instinto e justamente isto, pasmem, é o que me falta !
Frases da última semana: "você é rude" e "deveria ter dito" ! (Sem falar dos momentos em que era melhor ter ficado em silêncio..)
Sim, sou sensível, sempre fui mas... não sei ser DELICADO...talvez porque desde cedo tive que aprender a marcar território mesmo sendo tão pequeno e com aparência tão inofensiva....CUIDADO, EU SOU UM PERIGO !!!!! rs Minha sinceridade excessiva e meu despojamento exacerbado machucam ....
Aprendi a ser do tamanho que me vejo e não sei como parar de apararentar ser maior do que sou de fato...há receitas ?
Como o amor chega eu já sei... inesperadamente, sem aviso e te deixa prostrado... mas o que é possível fazer para que ele permaneça ?
Olho o mundo ao meu redor.. vejo pessoas que parecem ter o mesmo DNA, e não estou falando de "almas gêmeas". Estão juntas porque são rigorosamente diferentes...mas se combinam.
Eu vaticino ! Sorrio ao mundo e torço pelo "falling in love" alheio ! E continuo solitário... e por vezes isto dói e quer me levar alhures....
Insisto !!!! Eu continuo, mas sei que em mim algo está sendo gestado .... será a grande sensação de tolice que nos permitimos sentir quando o tempo passa ?
Nunca me senti tão tolo e ao mesmo tempo tão pleno de mim mesmo ! É como se só os problemas reais dvessem ser levados em conta e eles são tão poucos....
Sofro da Síndrome de Manuel Bandeira às avessas: TODA VIDA QUE PODIA TER SIDO... E FOI !!!!!! Sorry queridos...

quarta-feira, maio 19, 2004

FRIENDS PICADINHO - CAPÍTULO 3

Plano geral da Praia de Ipanema, vista do alto:

Darlan está sozinho olhando pela janela do apartamento vazio.
ruído do som da campanhia.
Lyara atravessa a grande sala envidraçada, passa pela escada - da percebeer que se trata de um dupléx. Abre a porta !

Beija Lyara.

- Tudo bem ?

- Tudo em ordem Dadá.

- Lyara, aonde vc vai de tailler e escova ? - ri.

- Já vou tirar....

Vão caminhando pelo apto, no fim do diálogo devem ter ´subido as escadas.

-Essa vida de alta-executiva está fazendo você se vestir de modo estranho...

- Olha quem fala... para quem
engomava as camisas quando eu conheci...

- Vc é o rio me fizeram muito bem....

- E o Jr ?

- Embraqueie ele a quase duas horas...

- Será que vai dar certo ?

- (Rs) Seria no mínimo irônico....e engraçado.

- E nós, tá confirmado ?

-Sim. Suas malas "tão" prontas ?

_ Ainda não !

- Não vale levar escovas...

-Engraçadinho. Quando voltarmos a mudança já estará aqui....

-Não sei.. fico preocupado com os "fluídos" deste apartamento. Por que tínhamos que comprar logo a cobertura que era do "Chaetano"..

- Não resisti ! o preço tava ótimo Dadá. Desde que a Paula Lavigne tomou tudo que era dele e só deixou este apartamento, ele enlouqueceu... rs.. vendeu este apto para gente por um quarto do preço !!!!

- Não sou católico...mas traz água benta....

(Estão conversando na cobertura. Plano geral o mar ....

Mar -

-Cheguei Helen !!

É Big que entra ! Alguns gatos o rodeima curiosos.

A empregada olha com cara de "vou ter trabalho extra".

Entra Anderson na ampla sala com decoração ´tipicamente praiana e com muito artesanato.

- Edson, por que não pegou um lugar na primeira classe e veio ontem ?

-Tá louco ! Não sou rico !!!

_ tem uma coleção de Volvos e não é rico ? rs de Anderson.

- tenho porque ganho ! Sou só um jornalista !

-Que comprou a Imagem Corporativa e a "Automóvel e Requinte..."

- Entra Ed com as malas !

- Chefe, onde "ponho" isto ?

-Aí minha meia sombra... no quarto de sempre se a Helen deixar ? Cadê ela ?

-Tá dando entrevista ... acabou de ganhar pelo terceiro ano seguido o prêmio de Melhor Restaurante do Recife !

-Essa mulherada é muito podersosa !!!!

-Casei com a pessoa certa !!!!

-E o Márcio ?

- Vc num tá sabendo ?

-Do que ?

Ed se volta para ouvir melhor a conversa.... fade out...
Perguntas

1) Cadê a continuação da novela do Márcio?

2) Darlan e Lyara mudaram pra Copacabana?

3) Vai rolar o churrasco com o Bóris?
Ela está com tudo e parece bem prosa

Quando fui a primeira vez para a Paraíba, em 2001, tive que ouvir nego deslumbrado dizer que nem os paraibanos gostavam do estado. E essa pessoa - na verdade um anão de jardim que trabalhou comigo - nunca havia posto os pés lá, porque pra ele só existe viagem de férias se esta implicar em carimbar o passaporte no exterior (não importa se a viagem tem que ser paga em 48 vezes, ele vai).

O anão de jardim não foi o único. Mesmo entre os picadinhos, eu e o Anderson tivemos que ouvir descrenças e desaprovações pela escolha inusitada. Depois de ter ido 2 vezes e estar louca pra voltar, qual não foi a minha supresa na última segunda ao zapear pela intragável Celebridade e constatar que, depois de "nossa, parece o centro histórico de João Pessoa", "parece o Mangai (melhor restaurante do Nordeste)", "parece o litoral sul" , sim Marcos Pantaneiro Palmeira e Lavínia Mala Vlasak estavam na Paraíba. E hoje, lendo o jornal interno da Abril, descubro que o governador do Estado aqui esteve fazendo uma palestra.

Um dos estados que é chamado, por quem conhece todo o Nordeste (infelizmente ainda não é meu caso, mas será - não me importam os carimbos no passaporte português que possuo), de um dos mais bonitos e preservados, parece que começa mesmo a ser descoberto pelo turismo. ótimo para provar que eu e o Anderson não somos tão loucos assim, mas algo que dá medo. Acho melhor eu mudar logo pra João Pessoa antes que os turistas acabem com tudo.

Conheçam. Vale muito a viagem.

terça-feira, maio 18, 2004

PEDIDO AOS PICADINHOS

Quando vocês tiverem um tempinho, façam uma figa por mim.

A VINGANÇA É UM PRATO QUE SE COME FRIO

Os cariocas que me desculpem, mas competência é fundamental.



Lembrei do César Maia, rindo feito um idiota, dizendo que beleza é o que importava.
O projeto do Rio para as Olimpíadas era medonho, feito nas coxas, de encomenda para uma votação interna em que o colégio eleitoral era quase todo de cariocashh... O de São Paulo foi feito por gente séria e não foi levado a sério.
Pelo menos agora acho que o povo do outro lado da Dutra vai se dar conta que beleza pode até ser importante, mas não basta.

sexta-feira, maio 14, 2004

QUEM LEMBRA ??
... das pessoas carregando a bandeira brasileira gigante, enquanto cantavam o Hino Nacional, na vitória de Tancredo, em 1985, no Congresso ?
Era a democracia que ressurgia, mesmo de maneira indireta, enquanto a chuva caía... A bandeira era carregada pelo povo como o país, mas ela os protegia das tempestades...
Naquela época, eu também sonhava em mudar o mundo... creio que fiquei cínico e me vendi muito cedo e por bem pouco...
Por que lembrei deste fato ? Estou cobrindo a estréia doi primeiro espetáculo com cançoes de Renato Russo.. e Brasília foi onde tudo isto aconteceu naquele início de anos 80.....

quinta-feira, maio 13, 2004

FRIENDS PICADINHO - CAPÍTULO 2

...um gato passa entre as pernas de Helen que está parada com expressão zangada em frente ao armário....

-Depois quando eu digo que não gosto de empregadas cuidando da minha casa o Márcio não entende.....

Do outro canto, Anderson, sentado à escrivaninha, tira os óculos e diz:

- Helena nós já discutimos isto milhões de vezes e sabemos que é impossível você dirigir a Fundação, administrar o restaurante e querer cuidar da casa com estes 32 gatos que não páram....

- Mas eu não consigo acahar os lençóis.. quem mandou ela tirar do armário do quarto de hóspedes....

Anderson, mudando de assunto:

-Será que vem todo mundo ????

-Acho que sim.. este povo adora uma prainha.... (ri).. mandei convite até para Faburia....

_Dúvido que ele venha... desde que ele foi construir a sede oficial da Love Parde em Berlim que ele nunca mais voltou ao BNrasil...

- è .. foi literalmente uma viagem....(responde Helen)

-Haja Delirius.... rs

Uma empregada gorda e com cara de sossegada entra no cômodo sem bater:

- ò Dona Helena, é aquele seu amigo de fala engraçada.....

- o criatura eu já não falei para não entrar sem bater...

Pega o telefone da mão da empregada que sai....

- Oie..... kd vc ?

Corta para:

Escritório em São Paulo.Câmera se aproxima lentamente.

Sala envidraçada de edifício comercial. Cadeira de Espaldar alto virada para a tela. Não ´possível ver quem está sentado nela. Apenas um braço segurando o telefone. É possível ver que a personagem usa terno....

- Helen, eu ´perdi o avião


Aparece Big na tela...

- Não , não foi nada de sério... só não sabia onde estacionar meu Volvo Novo.... rs

Pausa...

-Sim , mais um.. este é mais moderno....

Pausa...


-Só amanhã .. não havia mais nenhum lugar em vôo direto.... pode deixar !!!!!

A câmera se distanciam .. fade out lento....




quarta-feira, maio 12, 2004

Lula e o NY Times

Já que o Lula conseguiu mais uma vez mudar a pauta do País, elevando coisas menores a um nível de repercussão desmedido, sou forçado a cobrar também de vocês opinião sobre o assunto.

Que a matéria do NYT é do pior tipo de jornalismo não há dúvida - mais pela forma do que pelo conteúdo, pois a matéria não disse nada além da boataria que já tinha sido publicada em inúmeras notas e colunas, mas não em forma de reportagem e enfoque para a suposta "preocupação nacional" -, daí a expulsar o repórter do Brasil é demais.

Se antes o próprio NY Times havia defendido em editorial que o Lula era diferente de Chavez e Fidel, agora parece que ao menos em termos de liberdade de imprensa eles se equivalem.

Até ontem, a matéria tinha passado despercebida por toda imprensa mundial e a americana. Hoje, graças a ingenuidade do governo petista viramos destaque no mundo todo. Já o País e o Congresso encontrou motivo para continuar paralisado por pelo menos mais uma semana.

As associações de jornalistas caíram de pau, já a opinião pública movida pelo falso nacionalismo e sentimento anti-americano parece ter ficado ao lado de Lula. As enquetes na internet mostram uma margem de apoio de pelo menos 59%.

E vcs, o que acham?




terça-feira, maio 11, 2004

A primeira samurai de Tarantino

Sobre o filme novo de Tarantino, escrevi este artigo na estréia !

São Paulo, 23 de Abril de 2004 - H á um excesso de Tarantino em "Kill Bill: Volume 1", novo filme de Quentin Tarantino, que estréia hoje no Brasil com 100 cópias, e é justamente isso que torna o filme ótimo. Sim, é tautologia pura, apenas para confirmar que o diretor americano, que estourou na direção cinematográfica com o surpreendente "Cães de Aluguel", em 1992, não perdeu a genialidade de sua verve.
O filme, que estreou nos Estados Unidos em outubro passado, foi dividido em duas partes por sugestão de Harvey Weinstein, o todo poderoso CEO da Miramax, produtora da obra, que não quis cortar nenhum fotograma da montagem de Tarantino. Essa porém, não foi a única prova do prestígio do diretor na poderosa major americana. Estava tudo preparado para dar início à produção quando Uma Thurman, atriz declaradamente predileta do cineasta, anunciou que estava grávida. Em vez de escolher outra atriz, procedimento habitual na indústria cinematográfica americana em uma situação como essa, o diretor conseguiu convencer os estúdios a esperarem que Uma pudesse voltar à ativa, o que só aconteceria quase um ano mais tarde, em março de 2002.O adiamento valeu a pena. Não só Uma, que já havia sido dirigida por Tarantino em "Pulp Fiction", de 1994, em atuação que lhe rendeu uma indicação ao Oscar, mas todo o elenco escolhido a dedo pelo cineasta, estão em perfeita atuação no longa, que é uma homenagem confessa aos filmes de samurai japoneses, de artes marciais chineses e aos bangue-bangues à italiana, com imagens captadas entre Tóquio, Pequim e Pasadena, cidade californiana.Enquanto a atriz interpreta "A Noiva", ex-integrante do "Esquadrão Assassino Víboras Mortais", verdadeiro grupo "terrorista" formado exclusivamente por mulheres comandadas pelo personagem-título do filme, Bill, que no Volume 1 aparece muito pouco na tela, e foi entregue a David Carradine, astro americano, que na década de 70 protagonizou a série de TV "Kung Fu", criada originalmente por ninguém menos que Bruce Lee, maior estrela de filmes do gênero.
A adolescência e boa parte da juventude de Tarantino, passadas em South Bay, ao sul de Los Angeles, foram determinantes para que o diretor desenvolvesse o argumento de sua nova obra. Os dias trabalhando em uma locadora de vídeo, divididos com as sessões de "grind houses", cinemas decadentes, que exibiam filmes já há muito lançados nos grandes circuitos, foram a inspiração para o novo roteiro do diretor.
Tarantino une músicas herdadas dos bangue-bangues, com enquadramentos e planos também inspirados neste gênero, para contar a vingança de Uma Thurman contra suas antigas companheiras de "trabalho" e Bill, que tentaram assassiná-la grávida, no ensaio de seu casamento. Após quatro anos em coma, "Mamba Negra", antigo codinome de Uma no esquadrão, acorda e vai em busca de seus antigos algozes. O argumento, claro, é no mínimo rocambolesco e bastante "manjado", mas a maneira como o filme é conduzido não.
Na contramão do politicamente correto, que há mais de uma década impregnou o cinema americano, Tarantino "espetaculariza a violência" até o limite de quase transformá-la em pastiche. A seqüência final do filme, que dura 20 longos minutos, na qual "Mamba Negra" luta com os membros da Yakuza, máfia japonesa comandada por O-Ren Ishi - interpretada por Lucy Liu, uma das "víboras" que a anti-heroína quer destruir - pode ser entendida como uma legítima paródia à cena de Matrix Reloaded, em que Neo briga contra centenas de clones do agente Smith. O combate beira o surreal e se torna ainda mais irônico se levarmos em conta que Liu, ao protagonizar as duas seqüências de "As Panteras", em 2001 e 2003, defendeu a não-inclusão de armas de fogo e cenas "sangrentas" nos trillers. Em "Kill Bill" a espada de Samurai, especialmente forjada para Uma pelo mestre Hattori Hanzo, personagem de Sonny Chiba, "ressucitado" por Tarantino dos antigos filmes de artes marciais japoneses, rasga os inimigos e quase a tela, promovendo um banho de sangue nas cores bastante fortes que marcam o filme.
Tarantino interrompe o Volume 1 no momento exato, deixando no espectador o gosto de "quero mais". O "gancho" que deixa para a continuação da história é tão perfeito que a estréia de Kill Bill: Volume 2, nos Estados Unidos no fim de semana passado vendeu US$ 25,6 milhões em ingressos, nos três primeiros dias de exibição, quebrando um novo recorde para a Miramax. O público brasileiro terá que ser mais paciente. Para nós, o fim da "saga" só chega por aqui em outubro.
(Fim de Semana5)(Márcio Rodrigo)

segunda-feira, maio 10, 2004

FRIENDS PICADINHO

Em capítulos curtos, com direito a "ganchos" como uma boa novela tem que ser:

Capítulo 1

Superficie rugosa invade a tela....
Zoom Out !
É a imagem de uma lagartixa em um pára-choque.
Burburinho, ouvem-se frases do tipo :

"Nossa mães são de correntes culinárias diferentes";

"Bom dia Chuva !!!!"

"seu umbigo não é o ventre de gaia !!'"

"Churrasco de novo?"

Na tela, rua de interior e uma casa térrea pintada de branco, sem recuo na frente.
Cãmera avança pelo vitrô !!!
Lá dentro um armário no meio da sala ! É uma mudança.

Várias pessoas se abraçam e se despedem....outros ficam de fora olhando e acenando;

7 amigos entram no armário....(And, Helen, Ly, Darlan, Big, André, Márcio). As portas se fecham...

Corta para:

Uma mão feminina abre as portas de um armário branco. Um sol forte entra pela janela neste novo cenário....um gato passa entra as pernas da personagem....
Para um amor no Recife por Marina Lima

A razão porque mando um sorriso
E não corro
É que andei levando a vida
Quase morto
Quero fechar a ferida
Quero estancar o sangue
E sepultar bem longe
O que restou da camisa
Colorida que cobria minha dor
Meu amor eu não esqueço
Não se esqueça por favor
Que eu voltarei depressa
Tão logo a noite acabe
Tão logo esse tempo passe
Para beijar você

sexta-feira, maio 07, 2004

(já que o Darlan pediu, vai a minha versão...)

O FIM DE FRIENDS NA VERSÃO À PICADINHO

Passaram-se muitos anos...

Graças a um vírus - desses replicantes que invadem a caixa de e-mail - que tem como principal característica resgatar endereços eletrônicos antigos e informações há muito não consultadas, um grupo de amigos que não se via desde o aparecimento do último e derradeiro Ciclone, foi novamente reconectado.

Por meio de mensagens fragmentadas e desconectas, cada um deles foi se lembrando da existência do outro e, por consequência, dos motivos que levaram ao distanciamento de tamanha amizade...

Em comum acordo e como forma de alimentar a nova moda de reviver os idos anos noventa com todas as suas breguices embutidas como rodízios de sushi, blogs, revisionismos e teses de semiótica, eles resolveram pagar para ver, em mico virtual - é claro!

O cenário do encontro foi um local ermo, escuro e sem definição. Tipo Dogville (aliás, outra coisa trash dos idos "enta"). A cidadezinha do encontro, pequena como a expectiva de todos eles, se limitava a um galpão vazio delimitado por marcas de giz.

Resgatados à luz, eis que eles surgem no cenário, um típico não-não-lugar com a presença de tudo que de fato dá sentido à vida. Iluminados, os picadinhos novamente se olham e se redescobrem.

No extremo leste do não-não-lugar, vemos um homem alto finalmente completo, realizado na sua busca. Antes do ciclone, havia decidido largar tudo e dedicar-se aos trabalhos humanitários na europa envelhecida e sem ninguem para pagea-la. Feliz, vê filminhos romanticos e beberica vinho, rodeado de velhinhos. O homem alto sorri.

Mais próximos, um casal há muito formado antes do grande ciclone, cuidam de uma grande área urbanizada, caótica, sobrevivente à intempérie histórica. São prefeitos de uma antiga cidade maravilhosa pós-funk-fuck. Rodeados pelo povo do lugar, eles organizam mais um carnaval na atual Rocinha da Guanabara.

Um homem-executivo calcula possibilidades no seu lugar, ao centro. Depois do ciclone, ele teve muito trabalho para reconstruir tudo o que significa. Se tiver tempo, planeja aproveitar a demanda, construir em modernas estruturas metálicas aquele imenso vazio. Se tiver tempo, depois de intensa procura e muitas lugares e pessoas, ele já conseguia dormir e se sentia bem-acompanhado. Se tiver tempo...

Não tão distante dali, vemos um daqueles que eram chamados descendentes. Ele cuida de uma enorme chácara e sorri enquanto fuma. Há bichos e muitos barulhos no local...

Um pouco ao norte do cenário, um homem grisalho, magro e elegante, desfila por ruelas de outra cidade poupada pelo ciclone. Ele anda a passos rápidos, olha para tudo e dá um sorriso atropelado. Atrás um séquito de efebos e pretty babies carregam livros e discursos. Ele alcançou muito e ainda quer mais.

Um pouco mais ao norte, um sol profundo toma conta de tudo. Uma mulher rodeada de gatos tantos que já não tem mais nome para se extrair da antiga bíblia seguida por ela faz doces e reinventa licores frutados. Está feliz e já não mais ouve os fados do passado nos seus ouvidos. Os gatos de todas as cores correm apressados porque ouvem o barulho de alguém chegar, vindo da praia que mais ama...

A luz se apaga e todos adormecem nos seus grandes sonhos. Melhor assim, expostos ao sol, os sonhos murcham como uma planta mal cuidada.

A conclusão: todos atualizam os anti-vírus para não haver mais riscos de tamanho enfado. Naquela altura a hora outra já enterrou a moda do revisionismo.



HOJE EU AMO O "SENHOR DOS ANÉIS" !!!!

Calma amigos ! Eu não enlouqueci ! rs
Apenas coloquei este post para lembrar de Helen e desta data - apesar de saber que ela não gosta muito de fazer aniversário - que para mim é muito especial (Afinal, não é justo que só eu me aproxime dos "trintanos" !!! rs)

Helen,

Eu te desejo Açúcar, Casa Grande, Sobrados, e um mundo que se não começou no Recife, certamente um dia será lá pelas bandas de João Pessoa !!!!

Te amo minha AMIGA !!! Muita LUZ !!!!!


(Zé Pequeno da "intelectualidade" do Cinema Brasileiro hj vestido de Hobbit para comemorar a data !!!!)

PS - Roberta Helena manda beijos também !!!!!!

quinta-feira, maio 06, 2004

Fim de Friends

Chega ao fim nesta noite, depois de 10 anos, 236 episódios e uma legião de milhares de fãs, o seriado "Friends". A grande expectativa no episódio final é se Ross vai ficar com Rachel. Pela lógica dos roteiros, tudo indica que sim.

Confesso que entendo pouco de Friends. Mal sei o nome dos personagens. Mas achei curioso o fato da história deles também ter 10 anos.

Nos primeiros posts do Blog, a Helena relembrou o que teria sido o primeiro episódio do Rekebra, em 1994, quando ela flagrou André Amaral comendo miojo, sentado no sofá sem uma perna, vestindo só cueca. Mas como seria o nosso último episódio?

No caso do Clube do Picadinho espero continuar renovando o contrato para muitos outros anos da série. Mas se tivéssemos que escrever um capítulo final, como vcs imaginam que seria?

Desafio os roteiristas e membros criativos do grupo a sugerirem um capítulo final. E não vale usar o casamento de ingredientes como festa de encerramento, onde um personagem sai emburrado no meio da festa; outro não aparece; outro se apaixona por uma convidada. Não faz nada, mas fica conversando sobre bandas e cineastas alternativos a tarde inteira; outro fica ao mesmo tempo com um convidado do lado do noivo e outro do lado da noiva; e um outro narra em off uma teoria que dê algum sentido a essa coisa toda.
Mensagem para Marcio

Oi... tentei te mandar uma mensagem, mas voltou. acho que a sua caixa de emails esta lotada. Vai ter trabalho quando voltar de viagem... rs.

por isso, estou te deixando a mensagem aqui...

Marcio,

Vi um livro na biblioteca da Eca que me lembrou você: chama-se The Film Industry in Brazil. É de um tal de Randal Johnson.

Sei lá, de repente pode ser legal para aquela idéia do doutorado...

Bjs,

Anderson



segunda-feira, maio 03, 2004

Kill Bill e Bicicletas de Beleville

Pelo visto ninguém anda indo para o cinema. Se não se tratar apenas de preguiça de escrever, gostaria de recomendar os filmes do título. Em comum os dois tem uma belíssima animação (é bom saber que existe uma maneira de fazer desenho diferente dos modelos da Disney e Pixxar).

Virei fã de animações não hollywoodianas após assistir as Aventuras de Chiriro. Tanto a animação no meio de Kill Bill - que narra o assassinato do pai da vilã durante a sua infância - como As bicicletas têm o mérito de dizer muito sem precisar de diálogos. A carga expressiva dos desenhos superam em muito a média da interpretação de atores humanos. Sem contar a edição destes desenhos e a perfeita sonoplastia.

Sem a animação, já Kill Bill valeria à pena só pela trilha sonora e pela capacidade do Tarantino de fazer de qualquer cena banal um espetáculo de citações e clichês coreografados que fazem até o telespectador perdoar a história pífia que só vai terminar na parte 2.

Em Kill Bill saem os diálogos surreais, mas permanecem as situações inusitadas e é, claro, o sangue jorrando para todo o lado (cabeças rolam, membros são decepados a todo momento e ela luta sozinha contra 88. Mas poderia lutar com 100 que não soaria tão massante e exibicionista como o Matrix).

O destaque fica para a apresentação de cada personagem, na coreografia dos passos e no "style" mais que espetacularizado de cada um. Enfim, o barato é como a história é contada e filmada e não a história em si. Mas emoção mesmo, a maior é com a ainda menina vilã chorando na animação...







sábado, maio 01, 2004

VIAÇÃO AÉREA SEM PRESSA

Meu pai avisou e eu num acreditei... a VASP significa o título deste post... rs
Foi apenas "um pequeno atraso" de 3 horas porque descobriram que faltava "um pecinha" no airbus da cia que faz linha regular para o Nordeste....
Meda !!!!!
"EU VI O MUNDO....ELE COMEÇAVA NO RECIFE"

Caracas meus amigos,
Alguém pode me dizer o que está cidade ?
Ontem, estive numa festa às margens do Capibaribe em que tocou DJ Dolores. Show de bola !
E quanta gente bonita ! Bendita presença holandesa ! Se eu fosse Nassau eu também teria tomado a cidade.. só que não teria devolvido... rs
O curioso é que o açúcar da cana ficou no adocicado olhar das pessoas... todo pernambucano tem açúcar, casa grande & senzala e uma pitada ao menos de caboclo de lança de maracatu em rima perfeita com mangue beach dentro de si...
Árido aqui só o sertão e o movie....