quinta-feira, fevereiro 19, 2004

poucas ou muitas, sempre vejo meu dia, profissional, recheado de agruras. um erro de execução, um acabamento mal feito, uma entrega não aceita, um check list maior que o esperado. sem contar os problemas humanos a resolver, a dor de dente do soldador, a embriaguez do assessor, a rabugice do estagiário e tanto mau-humor dos clientes.

sim, pois só com muito boa vontade, e humor, é possível aceitar os serviços que tenho executado. nem é falta de gana em fazer melhor vinda desse aqui que lhes escreve: apesar de tremendamente insatisfeito por ainda fazer parte desse quadro, ainda visto a camisa e defendo como posso. só que uma empresa, principalmente quando familiar, tem a cara de seus gestores, donos, parentes todos. e a cara impressa em meu serviço não tem sido das melhores.

eu meio que desisti de impor o meu padrão: não estão aptos a evoluir tanto, e escrevo isso de forma tranquila, sem falsa-modéstia. já consegui me convencer da competência que posso afirmar. mas, ser tão humano que sou, perco a força por muito tentar e aparentemente não ver nada mudar. rimou!

agora, agorinha mesmo, pra piorar a situação, fiquei sabendo que vamos trabalhar todos os dias do carnaval. digo, sexta, segunda, terça e quarta-feira, dias normais porque algum infeliz estabeleceu que o carnaval é apenas ponto facultativo. será que eu mereço isso?


ps para edson: achei seu último texto realmente primoroso...

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial