quarta-feira, agosto 04, 2004

MUNDO VASTO MUNDO

(Peço licença a Carlos. Sem vergonha porque sou um sem-vergonha e não segui seu conselho: Não quis ser gauche nesta vida.)

"Mundo, vasto mundo,"
Felizmente, não te chamaste Raimundo,
Quem disse que quero, rimas perfeitas,
Medidas convencionais ou poesia regrada ?
O meu limite é a urgência e tenho pânico de qualquer exatidão.
A lógica é quase sempre insana e eu eu já sou um insensato.
Aprendi, não sem dificuldade, que toda regra tem sua exceção.
Então escreverei frases desconexas.
Rimas sem estrofes
Manifestações sobre o nada
E esquecerei quase tudo.
Só lembrarei do mundo, vasto mundo.....

Obrigado pelo "pito" Lyara.... Tens razão !

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial