quinta-feira, abril 01, 2004

Como as coisas mudam

Há algumas semanas atrás escrevi aqui um post sobre a nossa terra do nunca, Bauru, dizendo que sentia saudades. E sinto. De nós, da nossa vida lá, dos anos entre 1994 e 1997. Agora, daquela terra no meio do nada, eu não sinto saudades mesmo e só pretendo voltar lá com um excelente motivo - que não incluí visitas a ninguém e churrascos.
Por que essa mudança de humor? Além dos 9 pedágios, da estrada chata que não chega, do congestionamento absurdo causado por uma festa country no meio do nada no sábado, da volta pra casa com trânsito no domingo a noite, o que me faltava para odiar aquelas bandas? Uma multa. Sim, uma multa de excesso de velocidade.

EU NAO TOMO MULTA POR EXCESSO DE VELOCIDADE EM SP!!!! eu sou a motorista mais legalista do mundo, não faço nada errado! Nunca, nem quando não tem ninguém olhando - tenho testemunhas pra provar!

A velocidade máxima era 50km/h. Eu estava a fantásticos 58 km/h. Às 00:17hs do dia 14/03. Eu mereço?

Agora alguém me diga onde é a rua Antonio Eufrásio de Toledo pra eu me indignar mais e descobrir que é no viaduto da Rondon, onde peguei o maior breu da minha vida e nem um monge budista deixaria de por o pé no acelerador pra escapar logo dali!!!!!

Pensando bem, acho que voltarei lá sim. Pra recorrer da multa, porque eu não vou dar um puto pra`quele fim de mundo se eu puder evitar!

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial