segunda-feira, agosto 16, 2004

Olga

Tudo bem eu sou uma defensora do Cinema Nacional, mas esse é realmente um bom filme, uma produção perfeita, um acabamento impecável, as marca estéticas de Jaime ( planos fechadíssimos, destaque para os olhos, música de Marcus Viana ) Alguns podem achar melodramático e é mesmo, não por que seja forçado mas pq a história o é na realidade e nesse ponto o diretor não aliviou, o filme termina num silêncio aterrador impensável para o Cinema Americano. A segunda parte é disparado melhor que a primeira onde a heroína é mostrada como uma espécie de Ramba Vermelha, uma super eficiente e fria soldada comunista. A melhor seqüência é a dela com filha recém nascida em cima da barriga, capaz de comover até um militante de campanha pró a auto extinção da raça humana (nesse caso o Darlan). Camila está maravilhosa e visceral. Apenas uma coisa me incomodou um pouco. O campo de concentração em Bangu é perfeito enquanto reconstituição, Holocausto a brasileira, só fica difícil de acreditar em Alemães e Judeus tão... tão... cheio de cores, beirando a morenice... dificuldades de produção, sei bem.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial