terça-feira, junho 22, 2004

DEU NO NEW YORK TIMES DE HOJE

Afinal, para os "americanos, preto é preto, branco é branco e a mulata não é a tal".
Na terra da "liberdade" , criam-se REGRAS até para o que se deve tocar em um casamento....

Veja qual é a música mais adequada para festas de casamento

Trilha sonora pode selar sucesso da união ou ser primeiro passo no rumo do divórcio

Mark McGuire
Albany Times Union

Imagine sua canção de casamento. A primeira dança lenta entre marido e mulher. É com essa música que eles se definem pela primeira vez, oficialmente, como um casal - e coitado do cara se não se lembrar, dali a uns 10 anos, qual era o nome da canção. (Eu estou salvo: era "Stand By Me", do Ben. E. King, na versão de John Lennon, que nasceu no dia 9 de outubro, e é assim que eu consigo lembrar do meu próprio aniversário.)

Geralmente é a noiva quem escolhe. (Eu ajudei.) O cara geralmente diz: "A que você quiser, benzinho." Na melhor das hipóteses, é uma canção que tem alguma relevância para o casal. E também é igualmente comum que seja uma canção ouvida em pelo menos três dos últimos cinco casamentos em que eles compareceram.

Algumas canções servem bem para a primeira dança. Bem até além da conta, diriam alguns animadores de casamento. Qualquer canção que contenha as palavras "Always" (Sempre), "Forever" (Para Sempre) ou "Endlessly" (Interminavelmente), a palavra "Love" (Amor) e que seja cantada por Celine Dion, ou que tenha sido destaque num filme (ou, pior ainda, que tenha sido o tema principal)... essa será uma "campeã", dizem os especialistas.

"Não escolha a canção que está na moda", recomenda Jason McComber, DJ e gerente de operações da empresa promotora de casamentos Parties Unlimited Entertainment & Sound, em Lake Placid, N.Y. "Se você esteve em casamentos e viu mais de um casal dançando esse hit, é melhor procurar outra."

Parece que muitas músicas que tocam nas cerimônias foram especialmente "embaladas para casamento", sendo que essas mesmas têm sido ouvidas há, pelo menos, uma geração. Mas já que é você (ou, com mais sorte, seus pais) é quem paga a recepção não abra mão de escolher a lista de canções - desde a primeira, que vai embalar a sua dança, até aquela que vai animar o último corinho dos bebuns.

Mas o problema é que, há mais ou menos uma década, não estão surgindo muitas novas "canções de casamento". As exceções são "Amazed", do grupo Lonestar, algumas baladas cantadas por Celine Dion e, talvez, algumas músicas country. Mas provavelmente a maioria das músicas que se ouve nas recepções é a mesma de dez anos atrás.

"É melhor que a primeira canção do casal venha lá do passado", segundo Bruce Keslar, diretor da Associação Nacional dos Animadores em Movimento, entidade que representa 4.400 DJs. "Não há nada (de atual) que possa encher um salão de baile ou que possa ser lembrado para sempre."

Nessa que á temporada anual de matrimônios nos Estados Unidos, é quase assustador encarar a questão: Estaríamos em plena Crise das Canções de Casamentos? Hmm,não é bem assim. Felizmente temos reservas o bastante para durar mil anos.

Mas como escolher? Com cuidado. Os DJs de casamentos e músicos dão o mesmo e inquestionável conselho para quem for escolher a canção para a primeira dança: Preste atenção à letra. À letra inteira.

"'I Will Always Love You', de Whitney Houston, por exemplo - essa é uma canção de separação!", diz Keslar. E pense não só no que a canção significa para você, mas no que vai ela vai representar para os outros. Lembre-se, aquela adoração especial que você tem por uma música pode não ficar muito clara para os seus convidados.

Mesmo uma versão intimista de "Hell Bent for Leather" (Inferno Feito de Couro), do Judas Priest, por exemplo, dará a impressão que os dois pombinhos se conheceram no chat room de um site para adultos.

"Quanto às músicas que devem ser evitadas, recomendo tudo que remeta à tristeza ou separação", disse o DJ Charles "Chaz" Giknis. "Você nunca vai querer para a sua primeira dança 'You Lost that Loving Feeling' (Você Perdeu Aquele Jeito de Amar). Essa escolha daria o tom para o resto da sua vida."

Os DJs e cantores de casamento dirão aos seus clientes - o dia é de vocês. Vamos lá, é a sua festa, seja original. Mas só até um certo ponto.

Dyanne Marlowe, cantora do grupo especializado The Original Marlowe & Company Wedding and Party Band, disse que uma vez recusou uma canção requisitada para a primeira dança. E era do repertório de ninguém menos que Frank Sinatra.

"'The Lady is a Tramp' (A Dama É uma Vagabunda)", segundo a cantora. "O pai do noivo queria, o noivo também. A noiva não quis dizer nada - mas eu quis. Essa nós não tocamos."

Alguma atenção também deve ser dedicada às canções que serão tocadas no restante da cerimônia. Você e sua esposa até podem ser metaleiros radicais, mas, convenhamos, quatro horas ouvindo as pauleiras do Godsmack e do Korn certamente deixarão a pista vazia. Sem falar que a querida Vovó poderá ter um ataque.

Então leve a sério. Isso não quer dizer que você não possa estabelecer as canções indesejáveis. Na verdade, muito fazem uma lista das que não podem ser tocadas.

Mas será que adianta? Os animadores citam sempre as mesmas canções quando conversamos sobre aquelas que os casais pedem para não ser tocadas. E não é que as "proibidas" correm riscos de ser sempre cantadas pelos animadores de casamento? Veja a lista:


"Celebration" (Kool & the Gang). "Nos últimos anos essa é uma que os casais sempre pedem para não tocarmos", disse o DJ Michael Sipperly. Ele recebe até ameaças das noivas: " Não me importo com o que minha mãe tenha dito nem com a quantia de dinheiro que ela lhe ofereceu."


"The Chicken Dance" (A Dança da Galinha), tocada por alguns caras com acordeões, e "YMCA", do Village People. "Eu não acho que um casamento deva se transformar numa festinha de sétima série", disse o DJ Jon Durney.


"Old Time Rock 'n' Roll", de Bob Seger. "É taaão manjada", disse Karen Lawrence, da Karen Lawrence Band.


"Electric Slide", nome verdadeiro de "Electric Boogie", de Marcia Griffith, "The Hokey Pokey" e, claro, "Macarena" (Los Tres del Rio).

Estas canções sempre são tocadas porque é o que se espera nos casamentos. O clichê se transforma num ritual. Segundo Keslar, líder dos animadores. "Quando você tem 50 convidados querendo ouvir 'YMCA' ou a 'Macarena', é muito difícil contrariar".

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial